quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

A DEPRESSÃO DA MORTE

Era uma vez um homem com muitos sonhos, ele se chamava Joãozinho, mas literalmente o nome dele não era o mais importante.
Ele era uma pessoa normal e era fumante, algo que para ele era primordial. Era um amor incondicional e ainda achava lindo uma mulher fumar, sendo fumante com classe, algo muito sexy, e que mesmo achando isso lindo não curtia mulheres, era gay.
Algo muito normal por incrível que pareça
Não importa a sua sexualidade, sendo homem, mulher, travesti, trans, cross, o que a pessoa é não muda nada na sua sexualidade.
A cada amiga que fazia, a cada pessoa que achava legal, com um bom papo, engraçada, divertida, era o que ele gostava de ser amiga.
Mas lógico que tinham também amigas que não eram fumantes, e que ele também gostava porque nenhuma delas era chata dizendo para parasse de fumar. as outras que eram chatas, ele nem falava mais.
Muitas amigas que tinha, moravam longe, mas outras que se convivia, para ele era algo que seu coração ia junto com elas, suas amigas fumantes.
Quando uma amiga sua dizia que queria parar de fumar, mesmo que ele ia ficar triste, nunca pediu para que elas voltassem ao vício, mas para que ele tinha mais afinidade, ele apenas brincava, dizendo que com quem iria conversar sem poder estar fumando um simples cigarro.
Ele era uma pessoa que tinha muita facilidade para conhecer pessoas em redes sociais
Era algo que fazia muito bem
Se para alguns, se ele falava que amava cigarros e se alguém não curta, ou achava isso muito babaca.
Alguém curtir isso, ele não ligava para quem não curtia
Aconteceu muitas vezes, quando conhecia alguma amiga sua que fumava e que depois de um certo tempo elas paravam, digo que ele se não ficava triste!!! ficava apenas frustado.
Suas amigas, aquelas que conviviam com ele e aquelas  amigas que ele sabia que eram fumantes e que eram apenas suas amigas virtuais, do nada elas pararam de fumar.
Anos foram passando, ele tentando achar alguma amiga para estar junto, conversando, jogando aquela conversa fora, nada acontecia...
Depois de mais algum tempo, suas amigas começaram a dizer que ele estava chato, e que mudou muito, mas ele dizia que não tinha mudado, era a mesma pessoa de sempre.
Na verdade ele, era ela, de alma, com suas vestimentas, mas nasceu homem.
Passaram- se algum tempo, e como ela estava doente e era algo que ela nunca ficava, era muito difícil.
Acho que nesse momento ele como era ela, não queria que as pessoas o chamassem de ele mais, já estava com a sua forma desejada e  muito feliz.
Mas ela estava doente, entrou numa depressão muito forte, chegando a tomar remédios, como Sertralina 50 mg, um remédio muito forte.
Começou a não melhorar, soando frio, e foi acudida pelos seus familiares, indo ao hospital.
Chegando lá, foi atendida rapidamente, e seu diagnóstico não era dos melhores.
Foram feitos vários exames, como era uma fumante, lógico, que iriam examinas seus pulmões, seu coração, fazer um check up.
Os médicos, quando vieram falar com seus familiares, dizendo que seus pulmões estavam limpos, era como se nunca tivesse fumado na vida, era pulmões de não fumante,eram poucas pessoas, algo raro.
Seu coração estava em perfeito.
Mas se os pulmões estavam ótimos, se o seu coração também, porque estava tão mal!!!!???
O que se tinha era que o problema era sua cabeça, o cérebro
Sua irmã chamou todos seus amigos, aquelas pessoas que ele/ela mais convivia, amava gostava de estar por perto.
Foram chegando todos, muito preocupados, tristes...
Ficavam tentando descobrir o que tinha acontecido, o porque da mudança!!!???
Mas o que estava claro, era que tinha uma pessoa no hospital muito mal
Seus amigos estavam sem saber o que tinha acontecido para ficar nesse estado
Algumas perguntavam se foi porque as pessoas não curtiam suas poesias, suas histórias
Poderia ser, lógico, algo que ela escrevia e que amava mas que a maioria não dava importância
Uma de suas amigas não estava aguentando, queria fumar, estava louca para fumar, então ela disse que ia fumar la fora e se alguém queria ir junto.
Pois bem, foram algumas pessoas, na verdade foram quase todos para fora.
Enquanto isso...
O médico disse para quem estava na sala que seu órgãos iam ser doados e que o corpo ia ser cremado.
Voltando para a amiga que foi fumar e que estavam lá para acompanhar e para respirar um ar puro e poder falar um pouco mais alto, dentro do hospital não é feira que pode falar alto.
A amiga que estava fumando começou a reparar que era ela e mais uma que estava fumando, e que o resto tinham parado de fumar, algo normal.
Muita gente para de fumar por vários motivos, por saúde, financeiramente, ou por querer engravidar,
Mas as duas amigas que estavam fumando, começaram a se ligar, perceberam que o problema da depressão da amiga delas e de todos que estavam por lá, não era o que se discutia sobre o que ela escrevia se era bom, ou uma porcaria, e sim, pelo fato de que suas amigas, aquelas pessoas mais próximas tinham parado de fumar, e que elas sabiam que ela amava fumar e que amava estar com amigas  fumantes por perto.
Não tinha psicólogo, psiquiatra que iria dizer o contrario ou que não fosse chegar num denominador comum, tentando resolver o problema.
Depois de fumar e saber o que ela tinha de verdade, foram direto onde os parentes estavam, na sala de espera do hospital.
E quando chegaram lá, todas animadas, tiveram um baque quando souberam que não tinha mais nenhuma chance, que tudo estava perdido
Que nada poderiam fazer...
Depois todos ali começaram a ficar mal, a ficar tristes
Pelo simples fato, de sua amiga que era uma fumante convicta e que era fetichista por ver, estar com amigas fumantes, e o que ela mais gostava era estar com elas bebendo, conversando e sempre fumando, era isso o que sua vida era ligada
Era o que a mantinha viva, por dentro e por fora
Depois eu não posso dizer o que houve, se elas voltaram a fumar, ou se não, porque eu morri, e morto não consegue vero que os humanos estão fazendo, não sente dor, não fuma não bebe, não faz nada disso.

Tem coisas em nossas vidas que amamos, sendo o que for vícios, filhos, mão , pai, irmãos, mas também tem coisas que poderiam ser evitadas, isso sim poderia....


(FIM)




domingo, 4 de janeiro de 2015

PRESENTE, PASSADO, FUTURO PRESENTE

Eu vejo algodão doce
Vejo pessoas
Muitas pessoas
Centenas de pessoas

Vejo traições
Vejo muita violência contra a mulher
Vejo muita falsidade

Vejo um banquete
Com dezenas de pessoas
Comendo, bebendo, fumando


Vejo felicidade neles
Vejo minha alma estando junto com eles


Vejo uma mulher que conheço muito
Vejo que ela disse que pessoas não mudam
Vejo  que ela mudou radicalmente
Não vejo ela feliz


Vejo que ela está perdida
Completamente perdida
Vejo uma luz azul em cima dela
Como diz o ditado, se ela soubesse desse amor verdadeiro!!!!
Se ela soubesse que está fazendo merda!!!!
Muita merda mesmo!!!!
Estou vendo ela fazendo muita falta


Estou vendo também ela esquecendo de sua vida
De seus amigos que gostam tanto dela
Vejo um círculo vicioso que ela está
Mas vejo que apenas ela pode sair dessa


Seus amigos podem estar perto
Querer que ela dê aquele sorriso
O sorriso de quando eu a conheci
É mais ou menos parecida com uma história
A história de Isolda e Tristão


Na verdade, a verdade nua e crua
Quando bate o sol na nossa liberdade
Se faz a igualdade de cada sonho
De cada bebida tomada, cada cigarro fumado
Mas a maioria das vezes tudo pode ser resolvido
Volte para o nosso presente que ficou no passado e que no futuro será tudo nosso

Por apenas algo:

Amor, vem comer um algodão doce, e venha ser feliz....


RIVOTRIL, PARIU?

 Sou louca mesmo, e dai!!! Adoro usar Rivotril para ficar locona Quero usar tudo o que estiver pela frente Vou usar 50 comprimidos num di...